Catarata

A catarata é uma causa comum de baixa visual. A catarata é a opacificação do cristalino, a lente normalmente clara e transparente do olho. Os sintomas comuns da catarata incluem, embaçamento da visão, ofuscamento ou sensibilidade à luz, mudança freqüente de receita para óculos, dupla visão num olho, necessidade de luz mais forte para leitura, fraca visão noturna e visão desbotada ou amarelada.

Cristalino transparente Catarata

 

O comprometimento visual depende da extensão e da localização das opacidades no cristalino. Opacidades próximas do centro do cristalino podem afetar mais a visão.

O que causa a Catarata?

A catarata que ocorre mais frequentemente é aquela relacionada ao processo de envelhecimento. Em geral a catarata é causada por uma mudança na composição química do cristalino. A catarata pode se desenvolver em crianças e adultos. Quando ocorre em crianças, pode ser hereditária ou ser causada por infecção ou inflamação que tenha comprometido a mãe e o feto. Neste caso, está presente no nascimento e é chamada de catarata congênita

Entre outros fatores, contribuem para a formação de catarata a presença de doenças crônicas como o diabetes, o uso de medicamentos como corticóides, trauma ocular e a exposição à luz do sol, por longos períodos, sem proteção adequada.

Como se detecta a catarata?

A catarata geralmente não pode ser vista sem a utilização de instrumentos adequados. Eventualmente, a pupila, que normalmente é negra, pode se apresentar amarela ou branca. Um cuidadoso exame feito pelo oftalmologista pode detectar a presença e a severidade da catarata, assim como outras condições que possam causar visão embaçada ou desconforto visual.

Em quanto tempo se desenvolve a catarata?

A progressão da catarata é variável, podendo variar até mesmo de um olho para outro numa mesma pessoa. Na maior parte dos casos, a catarata decorrente do envelhecimento progride gradualmente, por vários anos. Em pessoas mais jovens e nas portadoras de diabetes, a catarata pode avançar rapidamente, levando a uma deterioração da visão em poucos meses. 

Como é tratada a catarata?

A cirurgia é o único meio ao qual o oftalmologista pode recorrer para tratar a catarata. Se os sintomas da catarata forem discretos, é possível que a simples mudança dos óculos possa resultar em uma melhora da visão. Até o presente, não há nenhum medicamento, suplemento dietético, exercício ou dispositivo óptico capaz de prevenir ou curar a catarata. A proteção contra a luz solar excessiva pode contribuir para prevenir ou retardar o progresso da catarata. Óculos de sol ou lentes que filtram os raios ultravioletas (UVA e UVB) fornecem esta proteção.

A cirurgia de catarata é um procedimento bem sucedido, com melhora da visão na maior parte dos casos. Eventualmente, outras causas além da catarata podem contribuir para a diminuição da visão, em particular aquelas relacionadas à retina e ao nervo óptico. A presença e severidade destas condições, pode impedir uma recuperação total da visão após a cirurgia da catarata.

Quando deve ser feita a cirurgia de catarata?

A cirurgia da catarata deve ser considerada quando a catarata causar diminuição visual que afete as atividades cotidianas. Com as técnicas atuais da cirurgia e as lentes intra-oculares disponíveis, a cirurgia de catarata pode ser feita sempre que as necessidades visuais do paciente o exijam. O paciente deve avaliar se sua visão lhe permite executar seus afazeres como dirigir com segurança, ler e assistir televisão com conforto. O paciente e seu oftalmologista devem decidir em conjunto sobre a ocasião mais conveniente para a remoção da catarata, de acordo com as necessidades pessoais.

Facoemulsificação e lente intra-ocular

A cirurgia de catarata é uma das cirurgias mais realizadas no mundo. Numa das técnicas utilizadas denominada facoemulsificação, a catarata é dissolvida e a seguir aspirada por um instrumento introduzido no olho através de uma pequena abertura. O oftalmologista faz esta operação delicada utilizando um microscópio, instrumentos miniaturizados, e outros dispositivos de alta tecnologia. 

Durante a cirurgia, que habitualmente é realizada sob anestesia local, a catarata é retirada e substituída por um implante, a lente intra-ocular. O grau da lente a ser implantada é calculado utilizando-se medidas que incluem o tamanho do olho (ver biometria). A evolução tecnológica dos materiais e instrumentos permitiram o desenvolvimento de lentes intra-oculares dobráveis, acrílicas, que podem ser inseridas no olho através de uma pequena incisão feita na córnea.  Estas lentes podem compensar a retirada do cristalino, corrigindo a visão à distância, diminuindo a dependencia em relação aos óculos. A correção do grau não se limita mais à compensação do chamado defeito esférico como hipermetropia ou miopia. Lentes de alta tecnologia (lentes premium), permitem  corrigir astigmatismo através das lentes tóricas,  e a presbiopia, através das lentes multifocais. Estas últimas, além de corrigir a visão de longe, proporcionam uma visão de qualidade para perto e meia distância.

Após a cirurgia da catarata, o paciente pode retornar quase que imediatamente às suas atividades, exceto às mais cansativas. Colírios são utilizados no pós-operatório, conforme orientação do oftalmologista. Várias consultas são necessárias no pós-operatório para avaliação do resultado obtido.

 

Facoemulsificação Implante de lente intra-ocular

 

Laser de femtosegundo

O mais recente avanço na cirurgia de catarata é o laser de femtosegundo. Com ele, as etapas iniciais da cirurgia que incluem as incisões, a abertura da cápsula e a quebra da catarata, são realizadas pelo laser, guiadas por computador, num alto nível de precisão e segurança. Uma vez fragmentada, a catarata ainda precisa ser removida atraves da caneta do facoemulsificador.

 

Tela do laser de femtossegundo durante aplicação na cirurgia de catarata

 

Yag Laser e Cirurgia de Catarata

 Um tipo especial de laser, chamado YAG, é utilizado para fazer uma pequena abertura na cápsula do cristalino que tenha se opacificado após a cirurgia de catarata. Não se trata de cirurgia mas sim de um procedimento rápido, simples e indolor, realizado com anestesia tópica na forma de colírio.