A Saúde Ocular dos Recém Nascidos Nescessita de Cuidados Especiais

A melhor maneira de proteger os olhos do bebê é através de exames oftalmológicos regulares. Certas doenças oculares infecciosas, congênitas ou hereditárias, podem estar presentes no nascimento ou desenvolver-se pouco depois. No entanto, quando diagnosticadas precocemente, os impactos podem ser minimizados.
 
Na maioria dos casos, os primeiros problemas visuais das crianças são detectados somente na idade escolar. Após o nascimento, apesar do acompanhamento com o pediatra, muitas doenças oculares podem passar despercebidas. Por isso, os olhos dos bebês devem ser examinados - por um oftalmologista - antes dos seis meses de idade (ou mais cedo, se recomendado pelo pediatra) e regularmente durante a sua vida.
 
No primeiro mês de vida, o bebê deverá passar pelo teste de olhinho, ou seja, uma luz será incidida sobre os olhos do bebê para averiguar se ele apresentará um "reflexo vermelho" ou não. É um teste simples, não invasivo e serve de rastreio de possíveis alterações na parte posterior do olho e opacidades no eixo visual, como catarata, glaucoma, opacidades da córnea, hemorragias no vítreo, inflamações e tumores intraoculares, entre outros.
 
Mesmo que na primeira avaliação os resultados sejam normais, serão necessárias novas reavaliações periodicamente. Os bebês com histórico familiar de doenças oculares devem realizar um exame oftalmológico mais detalhado. A detecção precoce de anomalias oculares é essencial para a eficácia dos tratamentos e na prevenção de problemas oculares mais graves.
Às vezes é difícil decidir o momento certo para a criança retornar ao oftalmologista. É tarefa dos pais e do pediatra responsável avaliar quando a criança deverá fazer uma nova visita. Mas o ideal é levar a criança ao oftalmologista anualmente, até os cinco anos de idade.
 
Os primeiros anos de vida representam um período crítico de desenvolvimento visual, já que as áreas visuais do cérebro estão se desenvolvendo rapidamente. Neste período, a criança deverá ser avaliada frente aos seguintes sintomas:
 
- Olhos desalinhados
- Dificuldade para enxergar de perto (leitura e escrita)
- Dificuldade para enxergar de longe (televisão)
- Dores de cabeça ao fazer esforço visual
- Se a criança espreme ou aperta os olhos
- Olhos irritados
- Olhos vermelhos regularmente
- Pupila esbranquiçada ou não arredondada
- Pálpebras superiores caídas
- Diferenças de cor entre os olhos
- Secreção
- Persistência de lacrimejamento
 
Contudo, é importante lembrar que somente com exames oftalmológicos, independente da idade ou presença de sintomas, é possível preservar a visão de forma saudável por toda a vida.